7 de ago de 2008

‘Não há ninguém à sua volta (de Yeda Crusius) que raciocine politicamente’ Frase do ex-Coordenador de Campanha de Yeda Crusius.


A entrevista de Lair Ferst ao Correio do Povo, é enigmática
Correio do Povo: Na sua avaliação, por que surgem novas denúncias
a cada semana?
Lair Ferst: Na verdade não são denúncias, são fatos. E muitos
desses episódios são provocados pelo próprio governo, que hostiliza
seus aliados. Pelo que eu estou acompanhando, a governadora
não deixa acabar a polêmica.

CP: O senhor sente-se injustiçado pelo governo ou pelo partido?
LF: Eu ajudei e trabalhei muito pela campanha da governadora.
Alguns coordenadores não fizeram a metade do que eu fiz. Não
pedi nada e não esperava nada deste governo, mas fui maltratado
desde o início. Fui descartado. E não sou só eu. Tenho vários amigos
que foram simplesmente descartados. Se o governo faz isso
com seus próceres, imagina com o resto.

CP: A governadora em particular tem alguma responsabilidade
neste tipo de tratamento?
LF: A governadora tem uma peculiaridade que é um temperamento
diferente. Não age pela lógica e tem dificuldade de fazer
avaliações políticas. O pior de tudo é que ela está sozinha. Não há
ninguém a sua volta que raciocine politicamente.

CP: O senhor acredita na possibilidade de a governadora ter a
imagem atingida por novas denúncias?
LF: Não quero responder porque os conteúdos destas conversas
que vamos incluir no material (a sua defesa perante à Justiça) ainda
são sigilosos. Estamos avaliando qual o momento oportuno para
encaminhar isso ao MPF e ainda não há nada marcado. Estou
até surpreso com a repercussão que ganhou a entrevista para a
Folha de São Paulo. Mas há muitas coisas que estão se interligando.

================
Bem, a primeira conclusão é que Lair Ferst mentiu na CPI.

Também podemos extrair que a Governadora é tida como portadora de um "temperamento diferente". E que "não age pela lógica e tem dificuldade de fazer avaliações políticas". Isto significaria desequilibrada? Sabe-se que Yeda é a antítese da lógica e não tem muita prática democrática em negociações, e quando submetida a tensionamentos, ela "manda prender e arrembentar", mas o que fazer com Lair, este sapo difícil de engulir? Eu começaria correr!

Mas o pior de tudo isso não é este grupo que tomou de assalto o Piratini, mas o silêncio dos empresários que "investiram" grana pesada na campanha da desgovernadora e dos partidos que continuam dando sustentação ao governo e fazem de conta que não aconteceu nada; seus parceiros. O silêncio significa consentimento!

Maiores doadores da Campanha de Yeda Crusius:

COPESUL CIA. PETROQUIM. DO SUL 550.000,00
GERDAU AÇOS LONGOS S/A 500.000,00
BANCO ITAÚ S.A. 300.000,00
IPIRANGA PETROQUÍMICA S/A. 300.000,00
ARACRUZ CELULOSE S/A. 281.557,45
BRASKEM LTDA. 200.000,00
IND. COSMET. COPER LTDA. 200.000,00
VOTORANTIN PAPEL E CELULOSE LTDA. 200.000,00
CIA ZAFFARI COMÉRCIO E INDÚSTRIA. 105.000,00
ENGEVIX ENG. S/A. 100.000,00
PRIMO SCHINCARIOL INDUSTRIA DE CERVEJAS E REF S/A. 100.000,00
FRATELLI VITA BEBIDAS S. A. 100.000,00
VONPAR REFR. S/A.* 100.000,00
DISTRIBUIDORA DE PRODUTOS DE PETROLEO IPIRANGA S.A. 100.000,00
CALÇADOS AZALÉIA S/A. 100.000,00

*A VONPAR continua no cadastro do STE, com um total de R$ 100.000,00 como valor "investido"na campanha de Yeda Crusius!

Alguns tem até PGQP e deveriam dar satisfações à população por suas escolhas.

Para finalizar, a última pessoa a lançar um programa do tipo "Repensar a Vida" no Presídio Central é Yeda, a menos que a governadora queira tranferir seu gabinete para lá!

Nenhum comentário: