30 de mar de 2009

Caro Remindo...

Meu problema não é o peão, é o patrão!


Sobre o fotógrafo cujo apelido "não pode ser pronunciado"

Edgar Vasques


REMINDO>>>Meu comentário era seguinte. O tio WU acusou um jornalista sem nenhuma prova, piração da cabeça dele e perdeu na tia justa. A ZH não tem nada a ver com isso.

Meu caro “Remindo”...

O caso do processo do fotógrafo cujo apelido “não pode ser pronunciado”, contra o Professor Wladimir Ungaretti da FABICO-UFRGS, soa como uma tentativa de desarticulação de quem não tem o pensamento não engajado à grande mídia no RS. Não é um mero processo de um fotógrafo contra um jornalista. Isso é um ledo engano! Isso não é uma "historinha entre comadres".

Durante parte de minha vida, estive completamente desinteressado pela vida política. Em dado momento, dei-me conta de estar sendo usado pelos jornalecos locais como massa de manobra. Justamente naquele momento decidi fazer um acompanhamento das mesmas notícias em todos os jornais e portais de internet. E a constatação não foi outra. As notícias políticas sempre tendiam ao direcionamento favorável a determinada figura em detrimento de outra, mesmo que isso não parasse em pé. Frequentemente, “verdades prontas e acabadas” ruíam feito castelos de areia, mas a cicatriz que permanecia era a de mentira. Foi que neste período cancelei com os pés a assinatura do jornal Zero Hora, que me chegava às mãos.

Após me dar conta de que inclusive eu estava fazendo papel de vaquinha de presépio, passei a "freqüentar" blogs com mais assiduidade e a interessar-me pelo assunto. Passaram-se sete anos e, incrivelmente, os problemas de ética na mídia, deterioraram.

Sou simpatizante com MST, Via Campesina, dos Sem-Teto, e de todos os que estão fora das “benesses da lei”; os excluidos. Creio na ideologia, que nosso sistema político atingiu o limite do tolerável e que os partidos de esquerda faliram, pois da direita sempre soube o que não esperar dela. Creio no respeito ao próximo, na tolerância; entretanto, não devo ser tomado por idiota.

Nada, mas absolutamente nada que passa sob o teto do Grupo RBS ou com algum empregado, passará despercebido ou ignorado. É um jogo de vida ou morte. É um jogo de dinheiro, de poder, de sobrevivência e, portanto, nada que possa prejudicar a imagem de credibilidade e acima de tudo, o lucro; irá adiante.

O processo do fotógrafo cujo apelido “não pode ser pronunciado” só foi adiante e muito rapidamente, pois há o dedo podre de ZH nisso. Há o interesse de ZH em imobilizar este lutador incontestável na trincheira inimiga. Para mim, isso é como o dia após a noite.

Este fato, junto com outros processos que jornalistas movem contra jornalistas , devem ser denunciados ao resto do Brasil e lamento, inclusive, que o Sindicato dos Jornalistas não tenha acionado algum tipo de conselho de ética. (ao menos que eu saiba)

Outra questão que deveria ser debatida pela população, é: Quanto custa um “benerzinho” de estatais em blogs de jornalistas com "credibilidade" acima de qualquer suspeita?
Leia também:
1-Celeuma
2-RSURGENTE
3-CãoUivador_1
4-Cão Uivador_2
6-DIALÓGICO
7-O DILÚVIO
8-Nova Corja

26 de mar de 2009

Yeda e as pesquisas...


Blog do Kayser

RBS/ZH MENTEM...


Foto de intervenção do Coletivo Muralha Rubro-Negra, no canal do Arroio Dilúvio, em frente ao Grupo RBS.(dia 24 de março).

Atrás da "moita" vemos a sede do Grupo RBS, onde é editado o famoso (ao sul do Mampituba) jornaleco da Azenha.

Moita é um elemento do imaginário popular onde o Grupo RBS mais sabe atuar!

24 de mar de 2009

O jeitinho RBS de ser...

Charge de Eugênio Neves - A Ética Privada.


A TV Gaucha tem apresentado no jornal das 19:00 horas, um especial sobre os presídios do Estado . Este é um tema que tem sido debatido desde o Governo de Germano Rigotto, o meigo! As matérias não são mentirosas. São competentemente feitas, editadas e reproduzidas. É uma vergonha o Estado em que este desgoverno deixou que chegassem as prisões; verdadeiras escolas do crime. Até aí, todos concordamos.

A conveniência é o momento. Ontem à noite, assisti a uma destas reportagens e comentei com alguém sobre o que não estava dito ali! Desconfiança minha, é claro. Eu já havia assistido um Conversas Cruzadas sobre o assunto, vários outros programas em rádios e TVs do Grupo RBS, comentando sobre o mesmo tema.

Mas a RBS não dá ponto sem nó. E qual foi minha surpresa?

Hoje pela tarde, recebi uma ligação para sintonizar a rádio Gaucha, pois o tema estava sendo debatido no programa Sala de Redação. Bingo! Lá estava Paulo Santana dissecando o Presídio Central. Aí me mijei todo!

Não é necessário dizer que o Estado perdeu o controle daquele local. Também que é o pior presídio do Brasil. Isso, também estamos cansados de saber.

Por que então, a RBS resolveu destampar este bueiro só agora?

Em primeiro lugar, os escândalos do Governo Yeda Crusius, apoiado por sua claque de sanguessugas, são semanalmente expostos nas diversas revistas de circulação nacional. Personalidades carimbadas, tendo que explicar sobre processos de corrupção nos Tribunais Federais e pouco repercutidos pelo Grupo RBS e outros locais, quando não, ignorados.

Esta avalanche de tentativas de convencimento da população parece convergir de maneira orquestrada em uma só direção; o da privatização dos grandes presídios, que como se sabe, nas mãos da iniciativa privada, tudo funcionaria melhor. Mais eficiente, mais limpo, mais cheiroso, e é claro, com menor custo. A economia mundial, que o diga!

Melhor ainda, se quem ganhasse as licitações fossem os amigos da “rainha” e o suprassumo seria se quem os construísse fosse o braço imobiliário da RBS. Não seria um mimo?

*Em tempo: recentemente o Grupo RBS apresentou um programa sobre os imóveis desocupados do estado. Hummm... tem gato na tuba!

A PONTE

foto: Walter Karwatzki



Havia uma ponte no meio do caminho.

Havia uma ponte no meio.

Havia uma ponte.

Havia...

[walter karwatzki]

PARASAN FILMES




A Parasan Filmes é uma produtora independente que surgiu em 23 de setembro de 1999, objetivando a produção de filmes de ficção científica com ideal totalmente nacionalista.

"Quais equipamentos você usa para produzir os filmes?
Eu utilizo uma filmadora SONY analógica TRV-118 Hi-8 mono, um Pentium III 550 com 320 de RAM, HD 20G SCSI, Placa Pinnacle DC10 de captura de vídeo e gravadora de DVD. Dois metros de tecido ‘Croma key’ (fundo azul) e lâmpadas de jardim adaptadas sobre tripés improvisados com tubos de PVC. Quanto aos programas, registrado mesmo eu teria somente o Studio 7 da Pinnacle, mas trabalho com o Corel Draw, Photopaint, Premiere 6.0, After Efects 5.5, Illusion 2.0 e 3D Studio Max 3R. Também possuo Aerógrafo, Pirógrafo, muitas ferramentas e bastantes sucatas para improvisos e construções de maquetes, armas e adereços.
" ligazine

O nome PARASAN Filmes veio da idéia de que ninguém fosse querer assistir aos meus filmes. Dediquei a mim mesmo a produtora amadora de filmes juntando: PARA + SANDER = PARASAN. Desde então meus esforços para concretizar meus sonhos não pararam ...
* Razias
* Macuã
* O Tiro
* Insídia
* Mácua (versão)
* Portentos
* Matriz
* Assuntos Federais

http://www.youtube.com/profile?user=parasanfilmes

Há vida fora da Globo e RBS.

Outros, que fazem excelentes produções em vídeo, são o pessoal do Grupo Catarse, nossos conhecidos, que tiveram vários trabalhos apresentados na TV-Brasil.

Do Blog PONTO de VISTA



MEU SILÊNCIO É UM MANIFESTO

Postado em 20/03/2009 por WU

ESTA POSTAGEM ESTARÁ DISPONÍVEL
ATÉ A PRÓXIMA SEXTA. EM FUNÇÃO
DE DETERMINAÇÃO PROVISÓRIA
SEREMOS OBRIGADOS A RETIRAR
TODAS AS REFERÊNCIAS IDÊNTICAS
OU SEMELHANTES. RESOLVEMOS
SUSPENDER, TEMPORARIAMENTE,
TODAS AS NOSSAS ATIVIDADES.
SEM NENHUM SENTIDO
COMPARATIVO COMPARTILHAMOS
COM MINO CARTA A IDÉIA DE QUE
“MINHA CRENÇA NO JORNALISMO FALIU.”
NÃO TEMOS NADA A LASTIMAR. OBRIGADO
A TODOS. VOU PROCURAR, PELO MENOS
POR UNS TEMPOS, OUTRA POSIÇÃO
NA TRINCHEIRA. COM ABSOLUTA
SERENIDADE E PLENA CONVICÇÃO DA
HONESTIDADE COM QUE EXERÇO A
PROFISSÃO ESTA SENDO FECHADO
MAIS UM CICLO. Nos quase dez anos de
existência de Pontodevista escrevemos
com raça e emoção. Com limitações
fizemos jornalismo. Criticamos. Só
lamento que tudo isso não possibilite
um grande debate sobre a ética.
ESTOU ESCOLHENDO O
SILÊNCIO.

O MEU SILÊNCIO É UM MANIFESTO.

do Ponto de Vista

================



É lamentável como um jornal como Zero Hora, o jornaleco da Azenha, tenha a capacidade de silenciar o portal de um PROFESSOR DE JORNALISMO DA UFRGS, em letras maiúsculas; mesmo que por via indireta, covardemente!

As verdades jornalisticas contidas no portal, não há como contesta-las. Critérios jornalisticos que podem ser contestados a todo momento nas páginas de ZH e o Diário Gaucho! Atropela-se a liberdade de expressão e fecha-se o portal.

O que a ANJ teria a dizer sobre isso?

Só há uma coisa a ser feita...Cancelar tudo o que esteja ligado ao Grupo RBS e seus parceiros, em especial os jornais. Como consumidores temos o direito de sermos respeitados, e não da maneira que este grupo de comunicação permite.

Lá em 2002 quando o Grupo RBS foi pego de soslaio manipulando pesquisas eleitorais, uma quantidade muito grande de assinaturas foram canceladas. Isso provocou mudanças na RBS, embora não admitam!

Hoje voltam a mostrar suas unhas.

Um jornal e um grupo de comunicação, mente quando diz que não se envolve em eleição, mas à meia luz conspira pela eleição de A ou B contra C. Ou quando persegue, sistematicamente, os movimentos sociais.

Pena que hoje não tenho uma assinatura de ZH, para ligar ao departamento de assinaturas e dizer poque estou cancelando a assinatura deste jornaleco, por que já fiz em novembro de 2002. O departamento de assinaturas de ZH, já ligou para refazer a assinatura 27 vezes!

Cancele, portanto, sua assinatura de ZH, e informe ao atendente sobre os motivos! Este é nosso direito, como consumidores de jornal, e como entes políticos. Por que não! É bom lembrar que o Grupo RBS foi apoiador contumaz do Golpe Militar de 1964!

QUE TAL ARMARMOS UM BARRACO EM FRENTE AO JORNAL ZERO HORA???

Leia também : PENSamentO úNicO

Mendes, o sensor...




Fico pensando com meus botões: porque será que Judith Brito, Presidente da ANJ não denunciou o Presidente Gilmar Mendes, por atentado a liberdade de imprensa?

Mas com uma diretoria destas...


DIRETORIA DA ANJ – 2008/2010

Presidente
Judith Brito - Folha de S.Paulo (SP)

Vice-Presidentes
Álvaro Teixeira da Costa – Correio Braziliense (DF)
Carlos Fernando M. Lindenberg Neto – A Gazeta (ES)
Jaime Câmara Júnior – O Popular (GO)
João Roberto Marinho – O Globo (RJ)
Júlio César Mesquita – O Estado de S.Paulo (SP)
Luciana de Alcântara Dummar – O Povo (CE)
Mário Gusmão – Jornal NH (RS)
Nelson P. Sirotsky - Zero Hora (RS)
Sylvino de Godoy Neto – Correio Popular (SP)
Walter de Mattos Jr. – Diário Lance! (RJ)

Diretor Executivo
Ricardo Pedreira
fonte: http://www.anj.org.br/

...é de se esperar muito pouco. Cheira mais a liberdade de empresa!

==============
O censor Gilmar Mendes

Dissemine a carta aberta do jornalista Leandro Fortes e não permita que Gilmar Mendes governe o País com suas atitudes.

Carta aberta aos jornalistas do Brasil

19/03/2009 20:54:59

Leandro Fortes

No dia 11 de março de 2009, fui convidado pelo jornalista Paulo José Cunha, da TV Câmara, para participar do programa intitulado Comitê de Imprensa, um espaço reconhecidamente plural de discussão da imprensa dentro do Congresso Nacional. A meu lado estava, também convidado, o jornalista Jailton de Carvalho, da sucursal de Brasília de O Globo. O tema do programa, naquele dia, era a reportagem da revista Veja, do fim de semana anterior, com as supostas e “aterradoras” revelações contidas no notebook apreendido pela Polícia Federal na casa do delegado Protógenes Queiroz, referentes à Operação Satiagraha. Eu, assim como Jailton, já havia participado outras vezes do Comitê de Imprensa, sempre a convite, para tratar de assuntos os mais diversos relativos ao comportamento e à rotina da imprensa em Brasília. Vale dizer que Jailton e eu somos repórteres veteranos na cobertura de assuntos de Polícia Federal, em todo o país. Razão pela qual, inclusive, o jornalista Paulo José Cunha nos convidou a participar do programa.

Nesta carta, contudo, falo somente por mim.

Durante a gravação, aliás, em ambiente muito bem humorado e de absoluta liberdade de expressão, como cabe a um encontro entre velhos amigos jornalistas, discutimos abertamente questões relativas à Operação Satiagraha, à CPI das Escutas Telefônicas Ilegais, às ações contra Protógenes Queiroz e, é claro, ao grampo telefônico – de áudio nunca revelado – envolvendo o presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro Gilmar Mendes, e o senador Demóstenes Torres, do DEM de Goiás. Em particular, discordei da tese de contaminação da Satiagraha por conta da participação de agentes da Abin e citei o fato de estar sendo processado por Gilmar Mendes por ter denunciado, nas páginas da revista CartaCapital, os muitos negócios nebulosos que envolvem o Instituto Brasiliense de Direito Público (IDP), de propriedade do ministro, farto de contratos sem licitação firmados com órgãos públicos e construído com recursos do Banco do Brasil sobre um terreno comprado ao governo do Distrito Federal, à época do governador Joaquim Roriz, com 80% de desconto.

Terminada a gravação, o programa foi colocado no ar, dentro de uma grade de programação pré-agendada, ao mesmo tempo em que foi disponibilizado na internet, na página eletrônica da TV Câmara. Lá, qualquer cidadão pode acessar e ver os debates, como cabe a um serviço público e democrático ligado ao Parlamento brasileiro. O debate daquele dia, realmente, rendeu audiência, tanto que acabou sendo reproduzido em muitos sites da blogosfera.

Qual foi minha surpresa ao ser informado por alguns colegas, na quarta-feira passada, dia 18 de março, exatamente quando completei 43 anos (23 dos quais dedicados ao jornalismo), que o link para o programa havia sido retirado da internet, sem que me fosse dada nenhuma explicação. Aliás, nem a mim, nem aos contribuintes e cidadãos brasileiros. Apurar o evento, contudo, não foi muito difícil: irritado com o teor do programa, o ministro Gilmar Mendes telefonou ao presidente da Câmara dos Deputados, Michel Temer, do PMDB de São Paulo, e pediu a retirada do conteúdo da página da internet e a suspensão da veiculação na grade da TV Câmara. O pedido de Mendes foi prontamente atendido.

Sem levar em conta o ridículo da situação (o programa já havia sido veiculado seis vezes pela TV Câmara, além de visto e baixado por milhares de internautas), esse episódio revela um estado de coisas que transcende, a meu ver, a discussão pura e simples dos limites de atuação do ministro Gilmar Mendes. Diante desta submissão inexplicável do presidente da Câmara dos Deputados e, por extensão, do Poder Legislativo, às vontades do presidente do STF, cabe a todos nós, jornalistas, refletir sobre os nossos próprios limites. Na semana passada, diante de um questionamento feito por um jornalista do Acre sobre a posição contrária do ministro em relação ao MST, Mendes voltou-se furioso para o repórter e disparou: “Tome cuidado ao fazer esse tipo de pergunta”. Como assim? Que perguntas podem ser feitas ao ministro Gilmar Mendes? Até onde, nós, jornalistas, vamos deixar essa situação chegar sem nos pronunciarmos, em termos coletivos, sobre esse crescente cerco às liberdades individuais e de imprensa patrocinados pelo chefe do Poder Judiciário? Onde estão a Fenaj, e ABI e os sindicatos?

Apelo, portanto, que as entidades de classe dos jornalistas, em todo o país, tomem uma posição clara sobre essa situação e, como primeiro movimento, cobrem da Câmara dos Deputados e da TV Câmara uma satisfação sobre esse inusitado ato de censura que fere os direitos de expressão de jornalistas e, tão grave quanto, de acesso a informação pública, por parte dos cidadãos. As eventuais disputas editoriais, acirradas aqui e ali, entre os veículos de comunicação brasileiros não pode servir de obstáculo para a exposição pública de nossa indignação conjunta contra essa atitude execrável levada a cabo dentro do Congresso Nacional, com a aquiescência do presidente da Câmara dos Deputados e da diretoria da TV Câmara que, acredito, seja formada por jornalistas.

Sem mais, faço valer aqui minha posição de total defesa do direito de informar e ser informado sem a ingerência de forças do obscurantismo político brasileiro, apoiadas por quem deveria, por dever de ofício, nos defender.

Leandro Fortes
Jornalista

Brasília, 19 de março de 2009

Foram enviadas cópias desta carta para Sérgio Murillo de Andrade, presidente da Federação Nacional de Jornalistas (Fenaj); Maurício Azedo, presidente da Associação Brasileira de Imprensa (ABI); e Romário Schettino, presidente do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Distrito Federal (SJPDF)

E aí meu caro Senador?



Simom (Senador-PMDB/RS) só da palpites sobre quem concorrerá ao governo do estado nas próximas, para que sua claque continue mamando nas tetas do estado. Sobre as falcatruas deste governo corrupto de Yeda Crusius e da quadrilha de "companheiros" envolvidos em falcatruas, poucos ouviram o Senador emitir opinião.

E há jornalistas que o chamam de "oráculo"...

23 de mar de 2009

Dobradinha arrasa quarteirão...

...Da desinformação.

A mídia pauta 80% dos assuntos que conversamos em nosso dia. Não é difícil de imaginar porque só se discute o degelo dos polos mais seriamente, por exemplo, de 5 anos para cá. Fica parecendo que a irresponsabilidade dos últimos 100 anos da industrialização, não tiveram nada a ver com isso. O que dizer da "crise econômica internacional", e os "çábios (s)" dos fatos consumados, como Míriam Leitão?

E mais, a imprensa que está em crise, tenta alavancar a venda dos jornais, atraindo clientes com CDs, panelas, livros e uma parafernalha de produtos, deslocados completamente do sentido de como deve ser um jornal. A informação, é um direito inalienável e devemos cobrar pela sua qualidade.

Zero Hora + Veja é o KIT TABAJARA da Desinformação.

Até o mundo mineral já sabia!



Pergunta ao Deputado Federal Eliseu Padilha, (Operação Solidária, RS - 2007, que apontou irregularidades em contratos da merenda escolar em municípios gaúchos e indícios de fraude de R$ 300 milhões em obras públicas):

-Deputado, o que fazem estas galinhas embaixo de seu braço!?

====================
Leia em:
1-RSURGENTE
2-DIALÓGICO
3-DIÁRIO GAUCHE

E também a Revista Carta Capital e Isto é.

22 de mar de 2009

Domenica Italiana





Hoje pela manhã fui comprar vinagre no Vale dos Vinhedos, por um antigo caminho secundário. Um vinagre de vinho tinto de "matar o padre". Ao passar por um"bodegon" ouvi a seguinte frase, no dialeto Veneto é claro:

"Que dio ti guarde della fame, dello fredo, della guerra e de quel buz que ti mete in terra"

Porto Alegre é demais...

Ao que parece a turminha do Prefeito Fogaça não consegue administrar convenientemente a capital. Dia 18/03 uma parada de ônibus da Avenida Goethe amanheceu com uma inusitada instalação, um galinheiro com galinhas, água e ração. ( O GLOBO). Um protesto pala má qualidade das paradas de ônibus, e isso se verifica por toda cidade.

Nem é preciso se desgastar muito para conseguir imagens sobre o assunto. Acima vemos duas paradas, a da esquerda em frente ao Colégio Conhecer, na Correa Lima e a segunda, na Zona Sul de Porto Alegre, na Av.Guaiba.

Para que imagina que Fogaça foi eleito pela “competência de seu primeiro mandato”, está redondamente enganado. A administração Fogaça é um desastre para a cidade, que desanda.

Esta é a boa notícia. A má notícia é que o Sen. Dedo Podre Simon, manifestou-se pela candidatura de José Fogaça ao Governo do Estado em 2010.

Se Porto Alegre é demais para Fogaça, imaginem só o estado inteiro do RS em suas mãos?

Depois dizem que o gaucho é politizado!

PORTO ALEGRE É 10 - EXPOSIÇÃO DA CHICO LISBOA


A Associação Riograndense de Artes Plásticas Francisco Lisboa, em comemoração aos 70 anos de atividades no campo cultural do Rio Grande do Sul deseja homenagear a cidade de Porto Alegre, no período de seu 237º aniversário e para isso apresenta a exposição "PORTO ALEGRE É 10".

O olhar e o sentimento de cada artista em relação a sua cidade ou a cidade que escolheu para viver, as liberdades de escolha das técnicas, dos procedimentos plásticos e das linguagens irão apresentar um conjunto diversificado, através das diferentes especificidades artísticas para esta realização. A pluralidade que estamos vivenciando na arte contemporânea vai tornar o conjunto de trabalhos instigantes e mostrar o resultado plástico da proposta de pensar a cidade.

O tema é a cidade de Porto Alegre que no dia 26 de março estará de aniversário. Cada artista apresentará um trabalho nas medidas 10 cm x 10 cm podendo ser bi ou tridimensional, com espessura no máximo de 5 cm. O suporte é livre podendo ser em tela, papel, madeira, argila, ferro, alumínio, acrílico, etc. nas técnicas de pintura, desenho, gravura, fotografia, imagem digital, escultura, cerâmica, etc. desde que seja respeitada a medida solicitada.

A exposição será realizada no Espaço Cultural da Chico Lisboa e terá o coquetel de abertura no dia 25 de março de 2009, às 19 horas. O encerramento da mostra será no dia 24 de abril de 2009. Todas as obras estarão à venda pelo preço único de R$ 50,00 cada uma. As obras serão retiradas no final da exposição.

Programa de Aids de Porto Alegre será investigado pelo Ministério Público


A capital gaúcha tem 66,8 novos casos de aids por 100 mil habitantes, segundo dados do boletim epidemiológico de 2008,colocando, portanto, a cidade em primeiro lugar no ranking de maior taxa de incidência do país. Já o Rio Grande do Sul, Goiás e Tocantins foram os três Estados brasileiros que apresentaram percentual de recursos executados abaixo de 50% em relação aos recursos repassados pelo Programa Nacional de DST/Aids do Ministério da Saúde. No caso de Porto Alegre, o Plano de Ações e Metas - incentivo financeiro para investimento no setor e que deveria ser construído com a participação da sociedade civil - ainda não foi apresentado ao Conselho Municipal de Saúde, dificultando um trabalho efetivo e eficaz no combate à epidemia.

Essas informações e outros documentos elaborados ou sistematizados pela Comissão de DST/Aids, do Conselho Municipal de Saúde de Porto Alegre, embasaram as denúncias levadas ao Ministério Público Estadual e ao Federal, nesta quinta-feira, 19 de março, pelos representantes da sociedade civil que atuam na defesa dos direitos humanos das pessoas que vivem com HIV/Aids e na prevenção da doença.

Após receber documentos e ouvir os representantes da sociedade civil, as promotoras públicas presentes, dra. Marinês Assmann do Ministério Público Estadual e a dra. Ana Paula Carvalho de Medeiros, do Ministério Público Federal (foto das duas) decidiram pela instauração de novo inquérito para investigar as denúncias que apontam a má gestão no setor.

Para a dra. Marinês Assmann, que atua na Promotoria de Justiça de Defesa dos Direitos Humanos do Ministério Público Estadual, o quadro é preocupante e desesperador. "Vamos propor ao Ministério da Saúde que realize uma auditoria na Secretaria de Saúde do Município, pois verificamos que o problema de má gestão persiste. O problema da aids e de outras patologias - como a tuberculose - é muito grave, e sabemos que os recursos não estão sendo aplicados, nem estão cumprindo a legislação, no que diz respeito ao Plano de Ações e Metas. Vamos chamar a Secretaria Municipal de Saúde para prestar esclarecimentos e ver se chegamos a um consenso; caso contrário, entraremos com uma Ação Civil Pública, já que os Termos de Ajustamento de Conduta (TAC) não estão sendo cumpridos”.

Gustavo Bernardes, advogado e Coordenador Geral do do SOMOS, foi mais radical. Propôs a suspensão dos repasses de recursos financeiros do Governo Federal para o município de Porto Alegre até que a situação seja normalizada. Sandra Perin, do Conselho Municipal da Saúde, afirmou, também, que é preciso construir um Plano de Saúde do Município com a participação da sociedade civil através do Conselho.

Oscar Paniz, vice-presidente do Conselho Municipal de Saúde de Porto Alegre, ressaltou que a sra. Mirian Weber, representante da coordenação de DST/Aids do município de Porto Alegre, não comparece às reuniões da Comissão, nem fornece, desde outubro do ano passado, as informações solicitadas, ignorando por completo a principal instância de controle social na área da saúde do município de Porto Alegre.

O representante da Fonte Colombo, Frei Luis Carlos Lunardi, propôs que no próximo dia 7 de abril, Dia Mundial da Saúde, as organizações da sociedade civil deem visibilidade pública à situação atual da aids na cidade de Porto Alegre, através de manifestação pública em que se denuncie o descaso do Governo Municipal.


Notícia enviada pelo Grupo SOMOS (
==========================
Quando se ouvem explicações sobre o "desandar" de Porto Alegre pelo Prefeito Fogaça, é de se imaginar de que Porto Alegre ele está se referindo. Não a do Planeta Terra, América do Sul, Brasil e ao sul do Mampituba! Em Plutão, talvez!

Porto Alegre tem a pior política de prevenção da AIDS do Brasil!

O "ninho tucano", com pedido de descullas aos tucanos-aves!


Título: yeda_ninho
Técnica: Bico-de-pena e computador Local: Porto Alegre
Eugênio Neves

Feijó e as baratas...


Título: feijo_baratas
Técnica: Bico-de-pena e computador Local: Porto Alegre
Eugênio Neves

16 de mar de 2009

Post no Blog do Hélio Sassen Paz


Os movimentos sociais tem minha defesa quase total e irrestrita em quase todas as questões nas quais estão envolvidos, sobretudo no tocante à reforma agrária, à saúde, à educação, ao esporte e à arte (infelizmente, os dois últimos quesitos são vitais para uma sociedade mais justa e são pouco valorizados).

Todavia, mesmo que a Constituição considere legal desconstruir o uso NÃO-social da terra, considero as invasões uma forma de pressão tão inócua quanto uma greve qualquer.

O que tu e os teus comentadores acham disso?


Caro Hélio:

Quando os mecanismos constitucionais são desviados de suas reais funções para o benefício exclusivo de parte da sociedade, de certas figurinhas carimbadas e a imprensa faz vistas grossas,não vejo como nós de classe média , ousamos em criticar as ações das mulheres da Via Campesina e do MST.

As ações de qualquer movimento social são, antes de mais nada, políticas e legítimas; quer seja uma invasão de uma monocultura, como a de Candiota ou do porto Portoce, quer a defesa à bala de seus integrantes.

Veja como são as coisas: quando os movimentos sociais matam alguém em um confronto, o Ministro Gilmar Mendes do STF, foca indignado; porém o Mesmo Ministro não fica igualmente indignado com chacinas em vilas, sem terra executados por grileiros, e assim por diante.

Só o confronto produz soluções que uma geração possa vislumbrar antes de morrer, Hélio. Quando viemos ao mundo, nosso tempo de vida já veio pré-estabelecido.
Nossa classe média que se acha informada, é suicida! A sociedade não avançará sem confronto. Veja a questão de segurança pública: todos os dias cidadãos são assassinados nas vilas de Porto Alegre. “Tudo bem”...Mas quando isso bate a porta do que a imprensa julga como sendo “cidadãos de bem” discute-se segurança pública.

Todos os dias inocentes são algemados, colocados em camburões e levados à delegacias em camburões. “Tudo bem”...Quando a Polícia Federal prende canalhas como Daniel Dantas e outros canalhas daqui como o caso da Máfia do DETRAN, o que a imprensa discute? Se era necessário o uso de algemas, Hélio! Mas que imprensa olho do cu! Só dizendo assim.

Enquanto houver injustiça social, há sim o direito destes injustiçados agredirem o estado que os afronta.

Você sabe que estou ligado até a raiz de meus cabelos a tecnologia. Não podemos falar de tecnologia, quando parte da população sequer tem o que comer! As mulheres da Via Campesina são heroínas.

Para que mesmo serve o estado?

Blog do Hélio

A Casa de Irene Reloaded


É curioso que segundo uma lenda urbana sobre uma das origens do dinheiro da compra da casa de nossa amada desgovernadora, foi da venda de um apartamento na rua Felipe de Oliveira, no Bairro Petrópolis. Dizem as más línguas que o "barbicha", também conhecido por "professor" e esposo de Yeda Crusius, ainda mora por lá.

Eu já vendi um apartamento para comprar outro imóvel, e não fiquei morando nele.

Giovanni Crisotti e mais 10 entre 10 formadores de opinião acreditam nesta lenda!

Gente!!! Isso não parece incrível?

15 de mar de 2009

Cautela e caldo de galinha não fazem mal a ninguém!



A vida de Yeda Crusius passa por um verdadeiro inferno astral. Nem se passaram 7 dias, e um novo escândalo espreita o Piratini. As desgraças de um político nem sempre são decorrentes de uma vida pregressa desonesta e rasteira.

Entretanto, no caso de nossa desgovernadora, as crises ocorrem exclusivamente ao colher as más sementes plantadas. Uma verdadeira “colheita maldita”. E não há nenhuma surpresa.

Quanto a crise do tal ouvidor Adão Paiani sobre os grampos ilegais, é muito curioso que ele tenha tentado falar com o Piratini sem sucesso, igual a tal carta do Lair Ferst que nunca chegou à Yeda, no caso da Máfia do Detran.

O mais curioso é que trouxe o caso à tona por não dever satisfações ao governo: “Meu compromisso agora é com a verdade”. Por acaso antes era com a mentira? O governo da tucana Yeda Crusius é uma falcatrua? Não estamos entendendo!!!

É bom lembrar que o Marcelo Cavalcante apareceu boiando no Lago Paranoá em Brasília dois dias depois de ter conversando com Yeda Crusius...

13 de mar de 2009

Maceió em 2009


Depois de quatro anos sem ir a Maceió, fiquei impressionado com os investimentos que a cidade visivelmente teve. Os contrastes continuam. Alagoas concentra o que tem de pior em diversas áreas: IDH, analfabetismo, violência, atendimento de saúde pública péssimo, e dai em diante.

Uma amiga que morava na Pajussara em frente ao mar dizia que diante dos olhos tinha Paris, e quatro quadras para trás, Bombaim. Ela se foi fazem 10 anos e ficaria feliz em saber que não são mais quatro quadras, mas oito...Há muito investimento federal em projetos sociais, mas certamente políticos como Calheiros e seu bando continuam levam uma beirinha, "of course"...

A construção civil está alucinante. O Grupo Wall Mart projeta a construção de mais 6 hipermercados. Grupos extrangeiros estão investindo massivamente na área de "ressorts".

A política local nos iguala a Alagoas em especial Maceió. Políticos canalhas não faltam tanto lá como aqui.

A programação da TV local apresenta inserções onde Renan aparece comentando como autoria de seu partido realizações como o salário mínimo, o PAC, "Luz para Todos", o PROUNI, o projeto de cisternas no sertão alagoano, entre outros; projetos cujas realizações podem ser conferidos em pleno andamento, inclusive no agreste. Calheiros continua mandando em Alagoas ...e no Congresso Nacional, leia-se a eleição do "SirNey" como presidente do Senado, Michel Temer na Câmara e Collor como presidente da Comissão de Infra-estrutura que fiscalizará a execução do PAC. Alagoas tem os Deputados apelidados de "Taturanas*" que lesaram o estado em vários milhões de Reais. Além de várias obras arquitetônicas como avenidas e viadutos com nomes de personalidades vivas, como o Viaduto João Lira. Ta bom ou querem mais?

Mas não somos muito diferentes... Máfia do Detran, Máfia da Merenda Escolar de Canoas, Pró Jovem na Pref. de POA, onde aparecem personalidades como Otávio Germano, Eliseu Padilha e outros... Só gente fina com envolvimento com o núcleo duro do governo Yeda Crusius e que só a imprensa local não vê. Também temos castas de políticos mudos como o Sen. Sérgio Zambiazi, Sen.Pedro Simos (o dedo podre) e o Dep.Vieira da Cunha, que muito pouco ou quase nada tem a dizer sobre o safado e rasteiro Governo de Yeda Crusius.

Antes de algum sábio local falar sobre a ética dos outros, é bom que esteja diante de um espelho....


=================

*Correio do Povo de Alagoas No final de 2007, a operação Taturana, da Polícia Federal, iniciou uma investigação sobre desvio de verbas na Assembléia Legislativa de Alagoas envolvendo 12 deputados e funcionários do local. No total, R$ 300 milhões foram desviados da Assembléia Legislativa. Os deputados acusados no inquérito foram afastados dos cargos, mas ainda lutam na Justiça para serem reintegrados.

12 de mar de 2009

Em boca calada não entra mosca!

Schmid & Watson cano longo cromado...foi duro de fotografar.

O discurso da desgovernadora enaltecendo a sanidade financeira da CORSAN soa como um déjà vu: no governo Brito, no período anterior das privatizações.

O “canto da sereia” desta semana foi o anúncio de que a CORSAN (Companhia Riograndense de Saneamento) está superavitária. Ao final da tarde, Marcelo Vargas (empresário)e Lucimara de Fátima Celes invadiram o gabinete de Mário Freitas, diretor da CORSAN, para cobrar uma dívida. Por mais que a turma do Piratini reme, não consegue sair das páginas policiais.

Em se tratando de técnicas de cobrança Marcelo Vargas inaugurou um interessante método de se cobrar dívidas públicas, a “cobrança armada”.

As faculdades de administração deveriam modernizar seus cursos introduzindo este novo e moderno método de cobrança: Cobrança de dívidas Públicas I – a cobrança armada. Alertamos, entretanto, que os profissionais que irão atuar exclusivamente no RS, deverão cursar uma cadeira adicional em nível de extensão: A Bruxaria como ferramenta adicional! Sabem como é, em se tratando de um governo de bruxos e bruxas, nunca é demais prevenir!

Já pensaram se a moda pega e as “tricoteiras” resolverem cobrar os precatórios do Governo do Estado, com armas em punho?

10 de mar de 2009

Lembrem-se das gravações da Máfia do Detran? Calou a imprensa...

A alta voltagem que vive o Estado do RS foi previsto pela própria Governadora Yeda Crusius, a Bruxa de Lair (conforme imagem que circula na internet - Yeda virou motivo de piada): no início de seu governo disse que ninguém morreria de tédio. E tem razão, a desgovernadora.

O Piratini virou a nau dos insensatos e naufraga diante dos olhos de atônitos cidadãos. Yeda não consegue se quer parecer honesta.

Carta Capital desta semana traz um “furo de reportagem”, pois Zero Hora, o jornaleco da Azenha que se considera a fonte da informação, nem comenta o assunto. Ou ficaria melhor dito, que Carta Capital furou a blindagem que este governo é submetido pela imprensa local?

Carta Capital desvenda como são pagas contas de personalidades políticas do estado e como foram pagas dívidas de campanha. É bom lembrar que o orçamento do estado para publicidade para 2008 foi de 92 milhões de reais e não esta esgotado (*). Com este valor, compram-se as consciências de quase todos os editorialistas.

Fica fácil concluir, portanto, que o Grupo RBS tem pouco interesse em informar seus leitores sobre a corrupção deslavada do governo Yeda. Os demais jornalecos locais seguem a mesma linha, todos jogando a fidelidade canina dos fatos, no lixo.

Das informações sobre o caso em Carta Capital, alguma já se sabia. A novidade foi sobre a empresa de publicidade DCS, que estaria pagando despesas de “ilustres” personalidades. Mas também não nos surpreende.

Os acusados devem processar o PSOL para limpar seus nomes, caso contrário ficará a dúvida:

1-será que o PSOL sabe tudo, ou faltam “algumas cositas mas”?

2-Porque o repórter investigativo de ZH, Giovanni Grizotti, não tem matérias nesta área?

3-Porque a imprensa não exige uma faxina ética? Por que poderia ser varrida para o lixo também?

4-O PSOL teria em seu poder tais vídeos?

5-Onde andam Os Senadores Zambiazi e Pedro Simon (o dedo podre) ?

Se o PSOL possuir esses vídeos em seu poder, prestariam um inestimável serviço ao estado, enterrando de vez o jeito antigo de fazer política, de onde Yeda e quem a sustenta não desgruda um só segundo.

A "voz no poste" desta corja combinando falcatruas, seria um golpe mortal! Então está combinado: vamos vazar as gravações???
++++++++++++++++++++++++
Corrigido pelo Scharlau:
O orçamento de 93 milhões, segundo matéria no Valor econômico de 03.3.09 ( http://blogoleone.blogspot.com/2009/03/midia-e-governo-no-rs-o-preco-da.html - clique na imagem e depois clique de novo) é o orçamento previsto para 2009, 60% dele a ser gasto no primeiro semestre. O palácioPiratini informa que em 2008 foram gastos 14 milhões.

A Bruxa de Lair: ah, ah, ah, ah, ah...


5 de mar de 2009

Política de Segurança Pública da tucana Yeda Crusius: um desastre!



Dia 02 de março passado, dois cidadãos foram mortos em mais um assalto a um carro-forte de fronte a Caixa Federal no município de Garibaldi, na serra gaúcha. O Comandante Bonato do 3º Batalhão de Policiamento de Áreas Turísticas “destacou que a rápida ação e a integração das polícias foram fundamentais para o êxito da operação” (Correio do Povo-03/03/2009).

Fico pensando com os meus botões, com um êxito destes não são necessários mais desastres! Não há êxito em uma ação onde existam mortes, cara pálida! Isso é simples!

Só a Brigada Militar opera com um déficit de mais de 10 mil homens, número conhecido por qualquer marginal. Sem falar na defasagem salarial, estresse por falta de equipamento adequado e despreparo de parte do efetivo. Comenta-se que foram disparados mais de 100 tiros. Só no carro-forte havia por volta de 30 marcas de bala, dados pelos bandidos, imagino! Deve-se contar até 100 antes de se iniciar um tiroteio em plena rua, onde há transeuntes. Há despreparo das polícias e dos seguranças. Ficou o dinheiro e foram duas vidas!

Enquanto os assaltantes tiverem um poder de fogo e capacidade de locomoção muito adiante da força policial, fica inviabilizada qualquer tentativa ao combate a este tipo de crime. Agravado pela falta de policiamento nas ruas. Constatação que até os paralelepípedos, sem muito esforço, podem fazer.

Mas nossa desgovernadora gaba-se em ter feito o “ajuste fiscal”! E o preço desta ação desastrada foi mais duas vidas!
O que é que deixou de ser feito? Vidas que se vão por balas, nas filas dos postos de saúde, por falta de medicamentos e que se perdem por falta de um razoavel investimento em educação pública. A população que se lixe!

Esta é a receita que Yeda Crusius, a mentirosa*, prega em sua cruzada pelo país: como o jeito tucano de governar. Cruzada que seria facilitada pela a compra de um avião, já apelidado de “aero-bruxa”. O valor investido no tal “objeto voador” da governadora seria superior ao investimento em Segurança Pública para 2009.

Para agravar a situação, a imprensa sul-mampitubense encontra-se “amordaçada” por verbas publicitárias no valor de 92 milhões de real. Ou por falta de caráter mesmo! Já tem editorialista chamando urubu de loro e dizendo Yeda é honesta e equilibrada!

Não adianta termos policias assistindo ao descalabro pela TV, câmeras de segurança ou pelas páginas policiais. Os órgãos de segurança devem se antecipar ao crime. Aumento de efetivo, equipamentos modernos, integração, capacitação e salário digno! Treinamento, treinamento e treinamento.
Outro detalhe é a integração do estado aos projetos federais no âmbito da segurança pública. Desde o Governo de Germano Rigotto, o meigo, o estado insiste em não participar destes projetos. Suspeito que seja para não dar o braço a torcer pela incapacidade de gerir isoladamente a segurança. E mais uma vez, a população que se lixe!

O efetivo atual da Brigada Militar em Garibaldi é de 18. O desejável seriam 36. Depois do portão arrombado a cidade ganhará mais 7...

Pelo sim e pelo não oremos, portanto, pois pelo visto nossas vidas estão nas mãos de Deus!

Nada é tão ruim que não possa piorar! Com Yeda Crusius, a tia da casa do espanto, isto virou uma certeza.

-------------------------------
*mentirosa: porque?

Este blog adjetiva a governadora Yeda Crusius de mentirosa. Na campanha ao Governo do Estado que culminou sua lamentável eleição, Yeda prometeu dar um choque de gestão, fazer mais com menos e não aumentar impostos.

Eleita, e mesmo antes de assumir o cargo, Yeda Crusius pediu que Germano Rigoto, então governador e “um doce de pessoa”, enviasse à Assembléia um projeto de aumento de impostos.

Foi enviado e rejeitado. Mentiu, tentou e não levou. Veja aqui porque Yeda é mentirosa!

Já Dornéu Maciel, indiciado por formação de quadrilha e lavagem de dinheiro pela Polícia Federal, acha que Yeda Crusius é "sacana". Não ousarei discordar!

Veja aqui a opinião de Maciel sobre Yeda!