9 de jan de 2011

Governo "honesto", pesquisa "honesta" e a eleição um "sucesso" como assistimos...

O resultado pode ser visto pelos novos secretários e diretores de equipamentos públicos, em todas as áreas do estado. As estradas, o Governo yedista só tomou conhecimento sobre o desastre que eram no ano da eleição. Saúde, os hospitais que deveriam ter recebido verbas repassadas pelo SUS, amargaram o atraso e a não-verba. Órgãos de pesquisa, sucateados. A educação;  estamos em 15° entre os estados brasileiros. Segurança pública, só o Coronel Trindade, que tentou boicotar de todas as maneiras a cerimônia de posse de Tarso Genro,  foi um desastre. E a Cultura, Yeda deixou os museus e entidades que tratam deste assunto, ao cargo de uma única besta e secretariada por uma cavalgadura. Foram quatro anos de não-cultura.

Ela "arrumou a casa"...

Yeda saiu de cena, e nos deixou um rastro de destruição. Acredito que bem ao gosto do Sr. Jorge Gerdau Johannpeter. Não é demais lembrar que não há mais foro privilegiado para Yeda e demais parceiros de seu desgoverno.

A única coisa positiva dos aloprados que ocuparam a casa de "Bento Gonçalves" foi destampar os bueiros da corrupção e nos contar um pouco da história de como as elites guascas ganhavam as eleições... 

Temo que essa história não tenha terminado!

6 de jan de 2011

A "DITABRANDA"!

Fico surpreso com a colocação de torturadores e guerrilheiros num mesmo saco, pelo PIG e pelo raciocínio rastejante!

Durante a Ditadura Militar, os torturadores eram agentes do estado que, sob um regime de exceção (estabelecido pelos militares, e apoiado pela direita e grandes jornais) agiram contra a Constituição Federal sob pretextos que não param em pé.

Os guerrilheiros que lutaram contra a Ditadura, agiam em defesa da Constituição Federal. Tinham o dever e o direito de conspirar de todas as formas contra o sistema ali estabelecido. Inclusive, pela luta armada e suas conseqüências.
A lei da anistia não pode, sob nenhuma hipótese, anistiar um agente público que usou seu status para suprimir liberdades, torturar e matar cidadãos; muitos dos quais com menos de 25 anos.

O Brasil deveria seguir o exemplo da Argentina. A imprensa golpista nacional não tem moral para opinar sobre esse assunto, pois apoiou o regime ditatorial militar fornecendo, inclusive, veículos aos órgãos de repressão, como é o caso da Folha de São Paulo.

O governo federal já tem um inimigo na trincheira que é o Sr.Nelson Jobin.

A ditadura deve retornar aos tribunais, para que nunca se esqueça quanto custa uma democracia!


1 de jan de 2011

Feliz 2011, com Dilma, Tarso e sobretudo sem Yeda Crusius...

Os últimos momentos de Yeda no Piratini.






Ao poucos o mau cheiro se dissipará! A arrogância da segurança do palácio, foi mudando gradativamente e os militantes e admiradores  do novo governo foram tomando conta da parte inferior do Piratini.