15 de ago de 2008

Édipo x Yeda, duas tragédias...

Foto de Júlio Appel

Édipo está em cartaz no Centro Municipal de Cultura de Porto Alegre, na Av. Ipiranga na diagonal com a sede do eixo-do-mal, o Grupo RBS. Esta versão da tragédia grega contada por Sófocles foi montada por Luciano Alabarse e tem na ante-sala fotos de bastidores de Júlio Apple.

Já no Piratini, segue em cartaz outra tragédia: A CASA DO ESPANTO, UMA NOVELA QUE NÃO TEM FIM, protagonizada por Yeda Crusius. Quanto mais fala, mais se enrola!

A tarefa do advogado, que segundo suas declarações seriam simples pois a documentação já existia, tornou-se pior do que os Doze Trabalhos de Hércules, pois nunca termina.

Mas se resta alguma dúvida, é porque há fragilidade de provas. Outro aspecto que deve ser ressaltado é que em um fato inédito desses, todas as vinculações, conclusões e seus efeitos, devem seguir um ordenamento técnico e legal.

O procurador-geral do Ministério Público de Contas, Geraldo Da Camino, parece seguir um caminho meticuloso e imagino o movimento das “forças ocultas” no sentido do direcionamento de suas convicções! Tenho fé nos jovens procuradores e juízes, já que os velhos estão dando um mau exemplo! Aí está Daniel Dantas que um intermediário disse estar mais preocupado com os tribunais de primeira e segunda instâncias do que no STF, que estaria tudo dominado!!

Já o Tribunal de Contas do Estado, vejo como um depósito de políticos em fim de carreira. Uma das causas de problemas nestes órgãos de controle é a indicação política de cargos!

Vejamos qual será o próximo capítulo...

Um comentário:

pinheiro disse...

nao seriam 12 os trabalhos de Hercules, ao inves de sete??