28 de jan de 2008

A Segurança Pública no RS, está uma piada!


No último domingo à tarde (27/01/2008), quem foi andar na orla do Guaíba entre o Gasômetro e a rotatória das Cuias, pode perceber o total abandono pelos órgãos competentes de segurança do estado, dos cidadãos que freqüentavam aquele local.

Ninguém me contou, eu estive lá, e comentei com amigos, o que aconteceria em caso de alguma necessidade, uma tragédia, uma briga e ter que ligar para o 190? O policiamento, antes de mais nada, deve ser preventivo.

Pois não deu outra!

Quando estava me retirando, cruzei por um piquete de gente mal-educada montada em cavalos. Bebiam e zombavam dos que ali estavam. Percebia-se claramente tratar-se de uma tribo alienígena ao local. Confundi-me entre o que era o cavaleiro e a cavalgadura, com perdão aos cavalos!

Zombavam de meninas menores que vendiam algodão doce, de três rapazes que estavam conversando sob uma árvore, e assim por diante, circulando perigosamente entre os que aproveitavam os diferentes espaços de lazer – famílias com crianças, casais de namorados, jovens de bicicletas, etc. Até que um dos “cavalariços” passou a agredir a sua montaria. Foi aí que um cidadão intercedeu e fora agredido com chicote pelo “cavalariço”!

Instalou-se o tumulto e só então a polícia compareceu, pois ELES NÃO ESTAVAM ALI! Foram chamados!

NÃO vi nenhum policiamento durante as duas horas que por ali estive.

Agora,caro Secretário, 1000 policiais para atuar junto ao MST, isso a Secretaria tem, não é mesmo?

A Operação Golfinho está uma vergonha! Os 40% menos de efetivo denunciado por um Comandante da Brigada Militar, foi resolvida com a demissão do comandante e não com aumento do efetivo! Isso é uma piada. Este comandante deveria receber uma medalha, por denunciar essa fraude que é a Segurança no RS.

Secretário Mallman, apesar do RS ser um estado com uma forte atividade rural, nem todos que lêem esses jornalecos pés-rapados que temos por aqui, são mulas.

Basta sair de carro ou caminhando para se constatar a diminuição do efetivo. As torres de Salva-Vidas, nem se fala. Várias estão com apenas um elemento. O Sr. saberia quantos salva-vidas tinha na torre central da praia de Xangri-lá a aproximadamente 20 anos ? Três, secretário. Nas demais, dois. Eu tenho 50 anos e sei do que estou falando!

Qual é o efetivo de uma cidade como Barão e Salvador do Sul? Quantos carros e destes quantos têm gasolina? É uma vergonha secretário, isso partindo de uma governadora dissimulada e que se elegeu para melhorar o que estava um caos. Um caos!

As proteções construídas para os carros da Brigada, em diversos lugares de Porto Alegre, são um recanto de fantasmas. Um exemplo é a que existe em frente ao Shopping Praia de Belas.

O que está nas ruas aos olhos vistos, não pode ser negado. No Bairro Menino Deus, vários incidentes ocorreram nos últimos 30 dias. Assalto com metralhadoras em hospital, seqüestros relâmpagos na José de Alencar e, assalto a veículo com uma senhora ferida no ombro na Av. Praia de Belas esquina com Barbedo – eu vi! Tiveram que ocorrer vários problemas de segurança na área, para só então se ver policiais em torno do Hospital Mãe de Deus.

Estamos assistindo a um desastre da política de segurança que, quero crer, seja responsabilidade direta da Governadora Yeda Crusius e não de um Secretário oriundo da Polícia Federal, que deveria ser seguida como exemplo pelas polícias estaduais. O caso da falcatrua do Detran-RS, é o exemplo de como a segurança e os crimes são encarados pelos órgãos competentes do estado, jogados por conveniência para baixo do tapete. O que a Governadora teme? É de rir para não chorar.

Segurança, Secretário, não é sensação como a imprensa calhorda tenta nos convencer, pois a dor de um tiro ou uma facada nas costas NÃO É UMA SENSAÇÃO!

Não é meter o pé na porta em casebres, não é arrastar pessoas pelos cabelos, não é maltratar delinqüentes. É respeitar a lei pelos que reprimem quem não respeita a lei. Não há quem esteja dispensado disso; nem mesmo a Governadora e seus asseclas. Os piores marginais não moram na Vila Areia ou Cruzeiro, mas nos bairros nobres da capital!

E segurança se faz com políticas públicas, inteligência, prevenção, respeito e policiamento ostensivo. Não com relatórios e estatísticas furadas para inglês ver! É um deboche à nossa inteligência. É uma fraude a boa fé dos cidadãos.

Mas há uma pessoa, aqui por esses pagos, que deveria dar seu parecer sobre o assunto, mas parece que o gato lhe comeu a língua: o deputado Vieira da Cunha; a maior “sumidade” no hemisfério sul do globo terrestre, sobre o assunto segurança pública!

Ou seria uma "papagaiada"?

_______________________

Mas que tal a Brigada Militar usar os bafômetros nos guascas que montam cavalos e fraquentam CTGs?

"Isso tem que ter fim"!

Nenhum comentário: