17 de jan de 2008

Nada como um dia após o outro!


Finalmente emerge a verdade sobre a soja transgênica. Na época do Governo Olívio Dutra, houve uma batalha sobre essa questão, pois não havia autorização para o plantio ou comercialização deste tipo de soja. A batalha era diária. Farsul, produtores rurais, e empresas com interesses naquele tipo de soja, discutiam nas páginas do "jornaleco da Azenha", a Zero Hora.
A soja trangênica responde seletivamente ao fertilizante e ao herbicida; ou seja, só irá ter efeito o fertilizante da própria empresa. O pior fica para o herbicida, já que a soja será resistente ao glifosato, que é específico, permitindo altas doses do mesmo. Como resultado, a contaminação por herbicida é evidente.

Isso sem contar com as questões relativas ao monopólio, pois a patente é da MONSANTO, empresa que muito anunciou e anuncia no Grupo RBS.

“Como quase todos os monopólios, eles passam a oferecer a tecnologia barato, para que o agricultor adira. Depois que ele já aderiu e ficou dependente dessa tecnologia eles passam a cobrar os custos mais altos”-Carlos Mielitz. Leia e ouça no portal CHASQUE, matéria completa que analisa a questão do monopólio.

O que os produtores rurais prejudicados deveriam fazer é processar a RBS, pela incompetência de seus comentaristas que nunca analisaram essa hipótese. O que vale é defender o interêsse dos anunciantes.

Portanto, ligue-se. Se você quer se informar, não o faça pelas páginas de Zero Hora.

Nenhum comentário: