16 de jun de 2014

A imprensa brasileira (x) Miguel Nicolelis.

Venho acompanhando faz algum tempo o trabalho de Nicolelis.

 Inicialmente, quem é....

"Nicolelis formou-se em Medicina na Universidade de São Paulo (USP). Na mesma instituição, cursou o doutorado em Fisiologia Geral, onde sofreu grande influência de César Timo-Iaria. O pós-doutorado foi realizado no Hospital Universitário Hahnemann (associado ao Drexel University College of Medicine) (na Filadélfia). Professor titular de Neurobiologia e Engenharia Biomédica e co-diretor do Centro de Neuroengenharia da Duke University." (Wikipédia)

"Lidera um grupo de pesquisadores da área de Neurociência da Universidade Duke[3] (Durham, Estados Unidos), no campo de fisiologia de órgãos e sistemas, na tentativa de integrar o cérebro humano com máquinas (neuropróteses ou interfaces cérebro-máquina). O objetivo das pesquisas é desenvolver próteses neurais para a reabilitação de pacientes que sofrem de paralisia corporal. Nicolelis e sua equipe foram responsáveis pela descoberta de um sistema que possibilita a criação de braços robóticos controlados por meio de sinais cerebrais. O trabalho está na lista do Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT) sobre as tecnologias que vão mudar o mundo." (Wikipédia).

O Exo BRA-Santos Dumont 1, projeto cujo objetivo consiste em fazer um indivíduo comandar uma unidade robótica altamente sofisticada,  andar; através de comandos celebrais transmitidos através de uma neuroprótese implantada no cérebro.

Isto só é possível graças a colaboração de diversas áreas do conhecimento, como medicina, eletrônica, mecânica, informática, etc, e suas diversas especializações, e de diversos países.

Diferentemente dos neuroimplantes que permitem ver, ouvir, pegar um copo e levar à boca, este é  um pouco mais complexo, pois deverá  poder manter o indivíduo de pé, a andar e vencer obstáculos.  Isto implica em um sistema altamente complexo de sensores tácteis na base do sistema robótico que retroalimentam os vários computadores da unidade e que por sua vez informam através do neuroimplante o cérebro humano que comanda tudo isso. É claro, que existem milhares de subrotinas que serão atalhadas pelos computadores. Mas o cérebro  comandará  o que, como e quando fazer. E como uma etapa seguinte, será a miniaturização de todo o sistema, tornando assim o exoesqueleto, o substituto da cadeira de rodas. Além de propiciar a construção de equipamentos de fisioterapia mais eficientes.

Bom este é o fato. Outro é que um indivíduo vestindo um exoesqueleto projetado por uma equipe interdisciplinar e internacional liderada por um brasileiro, daria o chute inicial em uma bola na cerimônia de abertura da COPA de 2014. Ao que parece, a FIFA não admitiu que esta ação brilhasse mais do que o evento World Cup.

Sete segundos foi o que apareceu na cobertura oficial. Mas o efeito deste chute trará um retorno muito maior à humanidade, do que os possíveis 6 bilhões de U$ de retorno aos cofres da FIFA ou o retorno ao pais em turismo.

Mas há um terceiro fato. A maneira como a imprensa brasileira reagiu ao evento BRA-Santos Dumont  1, cujo lenço pessoal foi cedido pela família para apresentação. 

Foi da pior maneira possível.

De maneira lamentável e inimagináveis, a imprensa brasileira tenta jogar ao subsolo  a apresentação deste fragmento de um projeto muito maior, e que está em fase de desenvolvimento. E mais, a imprensa tenta manter nossa população com a autoestima no chão. É um contínuo torcer contra. Que nada tem de factual ou jornalístico. Uma constante torcida pelo fracasso do Brasil como nação.
Bordões, “ isso é  Brasil”, e o “Brasil não tem jeito”, deixe tudo conosco e fiquem assistindo BBB e novelas que nós resolvemos tudo...

Mas qual teria sido o motivo deste ódio destilado de vários colunistas, como por exemplo Reinaldo Azevedo da revista Veja, já que podem ser encontradas matérias  nos próprios veículos destes colunistas, enaltecendo o projeto?

Tcham, tcham, tcham, tchammmmmm.

Miguel Nicolelis em 2010, deu total apoio à Dilma Rousseff. 

Isso é  simples como respirar....

"Por que é que o sr. decidiu anunciar publicamente seu apoio à candidata Dilma Rousseff?
Porque desde as eleições do primeiro turno eu cheguei à conclusão que essa é uma eleição vital para o futuro do Brasil e eu estou vendo um debate que está se desviando das questões fundamentais na construção desse futuro e dessa maneira eu achei que como cientista brasileiro, mesmo estando radicado no Exterior — mas que tem um projeto no Brasil e tem interesse que o Brasil continue seguindo este caminho — eu achei que era fundamental não só que eu mas que todos que pudessem se manifestassem a favor e fizessem uma opção pelo futuro que a gente acredita que é o correto para o nosso país." (de Viomundo-2010).

Deu-se então uma desconstrução pela imprensa brasileira, de todo um projeto, cujas pesquisas e artigos podem ser lidos em publicações científicas internacionais.

Com esta imprensa, nossos inimigos não precisam de nenhum profissional  do ramo, pois já estão muito bem servidos.


O inimigo mora em nossa casa! 

O inimigo intimo...


É lamentável...







Nenhum comentário: