17 de ago de 2010

Caso Sirotsky em Florianópolis: caminho para a pizzaria...




RBS determina como deve ser tratado o quintal alheio! Já na sua prole, a conversa é diferente!




O processo do caso de estupro de uma adolescente de 13 anos, em Florianópolis, em maio passado, foi entregue à juíza Maria de Lourdes Simas Porto Vieira, da Vara da Infância e Juventude.

O crime teria ocorrido no apartamento de uma família de classe média-alta, da ex-mulher de Sérgio Sirotsky, diretor da RBS (Rede Brasil Sul de Comunicação).

O filho do casal e um amigo (filho de um delegado da Polícia Civil), ambos de 14 anos, são acusados do crime.

De acordo com promotora da Infância e Juventude, Valquíria Danielski, não foi pedida a internação provisória dos dois porque os passaportes estão apreendidos e não há risco de fuga.

A promotora, que entregou a denúncia do caso na última sexta-feira (6), destacou que “houve estupro de pessoa vulnerável, praticado mediante violência presumida, em decorrência do fato de a vítima ter menos de 14 anos de idade e de se encontrar, no momento da prática sexual, sem condições de resistência, em virtude da ingestão voluntária de grande quantidade de bebida alcoólica”.

O processo está sob regime de “segredo de justiça”.

Do portal R7.

2 comentários:

Dialógico disse...

Que barbaridade!!! A Justiça só enxerga gente pobre nesse país. Para os ricos, é cega e passa a mão sobre seus crimes.
Reforma Judiciária JÁ!!!!

Anônimo disse...

“segredo de justiça”. QUE JUSTIÇA algem lembra do caso do Irmão do rigoto aquele da prostituta que caiu do ceu? e do Irmão zafari morto pelo propio Irmão? nunca mas se falo de aquilo. so se noticio o dia do fato e vem breve