10 de nov de 2009

Yeda Rorato Crusius “roubou a bandeira do CPERGS”.




Vejam que mimo a afirmação do Sr. Paulo Santana, para a Rádio Gaúcha. Paulo Santana é um jornalista da base aliada de Yeda Rorato ex-Crusius, nossa lamentável desgovernadora e protagonista do governo mais corrupto de nossa história.

Este esfumaçado jornalista nos brinda com o raciocínio rastejante de que, agora a bandeira do aumento e que até então estava com o CPERGS, está nas mãos da desgovernadora!

“É impressionante, a governadora Yeda Crusius tirou das mãos do Cpers a sua bandeira de aumento salarial. Esta iniciativa da governadora inédita e sobre todos os títulos, espetacular, de fixar os salários mínimos dos professores do RS em R$1.500,00, deixou o Cpers tonto. O Cpers está sem saber o que fazer, perdeu a bandeira. É impressionante como o anúncio dos R$ 1.500,00 chegou bem na classe. No interior do Estado, os professores festejam o anúncio de R$1.500,00 de salário mínimo para os professores. E o Cpers não sabe o que vai fazer, não sabe como vai continuar se opondo a governadora. Esta que é a verdade.”

Vejam que o diploma de jornalista não é salvoconduto da ética ou a fidelidade canina aos fatos, como se espera de um jornalista. Muito menos ao raciocínio lógico. Há tanto invertebrado publicando colunas em jornalecos lamentáveis, que desaprovaria o uso de tal título: o de jornalista!

Paulo Santana e Yeda Rorato se merecem!

Mas vamos ao roubou a bandeira...

Para aqueles com pouca memória, Yeda Rorato, nossa desgovernadora é mentirosa. E porque? (assista o vídeo acima)

Na campanha eleitoral de 2006, Yeda prometeu que não aumentaria impostos. Ao vencer o pleito e mesmo antes de assumir o mandato, solicitou aos seus aliados o aumento de impostos. Yeda disse uma coisa e fez outra.

“MENTIR: v.i. Afirmar aquilo que se sabe ser falso, ou negar o que se sabe ser verdadeiro: mentir vergonhosamente. / Enganar, iludir; ludibriar.”

Estamos tratando de um projeto de uma governadora mentirosa. Acreditamos que Yeda Rorato ex-Crusius juntamente com a base aliada estão praparando uma armadilha.

Não vamos esquecer que a base aliada defende os bandidos dos cofres públicos, procura esconder da sociedade a corrupção no estado e mantendo afiliados em seus carguinhos em secretarias de estado e estatais, drenando recursos para suas “poupanças” e para as “segundas arcas partidárias”. Tudo fartamente documentado nos processos da Operação Rodin, Solidária e na gravação BusattoxFeijó!

Por que essa gente não incorporou a Brigada Militar e os professores do estado, ao respectivo piso nacional para a segurança e ensinos fundamental e médio? Pois são coisas do Governo Federal?

“A partir do momento que estabelecemos o piso de R$ 1,5 mil, todos os funcionários que estão na escala... o professor que ganha que R$ 150 vai para R$ 1,5 mil. O que ganha R$ 1,3 mil vai para R$ 1,5 mil. Mas o professor que ganhava R$ 1,5 mil não terá reajuste nenhum e este professor pode ter um tempo mais longo de Estado.” (Secretário Estadual da Fazenda, Ricardo Englert)

Manchete do jornaleco da Azenha: “Nenhum professor receberá menos de R$ 1,5 mil, confirma secretário da Fazenda”. O que não está dito, é que ninguém ganhará mais de R$ 1,5 mil. Segundo o mesmo jornaleco, o salário inicial hoje é R$ 950,00. É bom contar ao Secr. Englert que ninguém ganha R$150,00.

A meritocracia, é o nó, a armadilha do tucanato e a quadrilha aliada, digo, base aliada!

“Nenhum funcionário receberá bonificação por tempo de trabalho, mas por resultados apresentados”. E quem analisará esses objetivos:? “Uma assembléia envolvendo os órgãos gestores, servidores e entidades de classe". O aumento ficará para o futuro e definido por um grupo a ser constituído.

“Vai migrar quem quiser?” Por isso "a bruxa malvada acena com um confeito enorme e colorido! Após optarem pelo confeito e João e Maria entrarem na gaiola, fatalmente irão para o caldeirão.

Tem gato nesta tuba....

Ich!

Roubaram a tuba!

Nenhum comentário: